"E a minha procura ficará sendo minha palavra."
(Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, 2 de abril de 2014

GRUPO NA ONDA DA LEITURA (Segunda -14 horas)


A despedida
Ana Luíza Vila Nova

Maria vai fazer intercâmbio para ser bióloga marinha nos Estados Unidos. Para conseguir esse intercâmbio, ela passou quatro anos se dedicando aos estudos, mas só com vinte e um anos ela conseguiu a vaga para fazer a viagem. Maria ficou encantada com o que ganhou com tanto esforço e sacrifício. No aeroporto, muito emocionada, a mãe disse:
― Boa sorte, filha, que você seja muito abençoada!
― Mãe, muito obrigada pelo seu apoio, pela sua compreensão e por eu ver nos seus olhos a sua felicidade por me ver subindo na vida - com muita satisfação falou a filha.
Com muito orgulho, a mãe falou:
― Adeus!
Depois dessa despedida muito emocionante, Maria deixou cair uma lágrima, mas essa lágrima era diferente das outras, essa lágrima era de saudade. Maria se despediu dizendo:
― Adeus, mãe, eu voltarei como uma bióloga bem sucedida e você vai se orgulhar de mim.
Com muito sofrimento, a mãe da Maria começou a chorar. Seus sentimentos estavam misturados, eram saudade, felicidade e orgulho. Ela sabia que sua filha teria o futuro dela garantido. Olhou a filha embarcando no avião e foi para a casa tentando diminuir sua tristeza.



A despedida
Arthur Alves Poustka

No aeroporto, o casal se despede aos beijos, abraços e choros, pois Marcelo terá de ir para a guerra e deixará sua mulher, chamada Bruna, por um tempo indeterminado.
― Bom, essa é a nossa despedida - disfarçando o choro ela falou.
― Não se preocupe, irei voltar para me casar contigo - o noivo disse.
― Me lembro da primeira vez em que nossos olhares se encontraram em Paris - com os olhos cheios d água ela revelou.
― Sim, penso naquele dia até hoje - contou ele.
― A guerra é perigosa, mesmo querendo não sei se você irá voltar - chorando ela falou.
― Tenha fé! Tudo irá ocorrer bem - disse Marcelo.
― Tenho muito orgulho de você! - exclamou Bruna.
― Obrigado! Adeus! - falou ele.
― Será difícil ficar sem você - disse ela.               
E os dois se abraçaram ao pôr do sol.



A despedida
Isabela Souza Valle

Quando entraram no carro, aquele drama começou. Júlia estava ansiosa para ir viajar com a excursão. Ela iria comemorar assim os seus 15 anos, iria para Disney, Nova Iorque, Miami e Califórnia.
 Ela queria conhecer a rotina das pessoas, ver as lojas, os parques, as praias entre muitas coisas. Porém, também pensava na saudade que iria sentir de sua família. Sua mãe e ela não faziam outra coisa além de chorar.
Assim que entraram no aeroporto as lágrimas que escorriam poderiam encher mais do que uma garrafa de dois litros.
― Mãe, eu acho que não vou – falou Júlia com muito medo.
 ―Minha filha, você estava super animada. Vai sim! – respondeu sua mãe, disfarçando seus sentimentos.
― Mas... – deu um longo suspiro e engoliu o choro – Sentirei sua falta, mamãe, eu te amo demais.
Isso desmontou a mãe, que até então tinha conseguido segurar sua emoção.
― Será que conseguirei cuidar de mim sozinha? - perguntou a filha.
―Você já sabe se cuidar aqui, por que não conseguirá lá? Você é a menina mais responsável que eu já conheci.  Seja confiante!  
As duas se despediram e Júlia embarcou lembrando de seus últimos momentos no carro e no aeroporto. Júlia percebeu que sua mãe é muito importante, pois ela a compreende.



A grande festa
Vitor Faria Thomaz

Certo dia vovô Papy’s estava lendo seu jornal quando sua neta Vitória chegou e perguntou-lhe se poderia levá-la a uma festa na casa da sua melhor amiga. Na mesma hora, vovô Papy’s disse que não, já que a festa acabaria tarde e ele não teria condição de buscá-la.
Vitória, meio irritada, disse:
―Vô, não precisa se preocupar. Se você quiser, eu peço para algumas amigas me trazerem de volta.
Vovô Papy’s olhou para ela com os olhos arregalados e falou:
― Pior ainda! Eu lá sei quem são essas amigas, não conheço os pais delas. Você não irá nessa festa!
Em seguia, Vitória foi ao quarto e bateu a porta com muita força. Vovô Papy’s continuou lendo seu jornal e, depois de um tempo, ele percebeu o quanto é ruim não ir às festas que deseja. Lembrou-se de que seu pai nunca o levava em festas e de que quando ele conseguia ir eram as melhores festas do mundo. Então, ele entrou no quarto de Vitória e disse:
―Vitória, se você quiser, eu te levo nessa festa e pode voltar comigo ou com suas amigas.
―Sério, vô? Que demais! Obrigada, vovô – falou toda entusiasmada.
De noite, vovô Papy’s estava de carro na porta da festa com Vitória.  Emocionada, ela o abraçou dizendo:
― Obrigada, vô.
― Não, obrigada você por me lembrar como é ser jovem.



Despedida de amor
João Pedro Julio

Numa ilha romântica, Pedro e Camila aproveitavam o pôr do sol. Pedro ficou preocupado com Camila:
― Está tudo bem? – perguntou Pedro.
― Está! – afirmou Camila
Pedro ainda não sabia que Camila iria viajar na manhã seguinte.
Eles voltaram para o hotel. Pedro foi para o quarto e Camila foi pegar sol na piscina.
Ao chegar no quarto, Pedro viu as malas de Camila arrumadas. Ele foi para a piscina falar com Camila para entender o que estava acontecendo.
― Você vai viajar? – perguntou Pedro.
― Eu ia te contar – disse Camila.
Pedro ficou chateado, mas como era o último dia de Camila com ele, eles aproveitaram. Como o voo dela sairia cedíssimo, a única coisa que eles puderam fazer foi dar o último beijo.
Pedro encontrou uma mensagem de Camila no celular dele dizendo: “Cheguei aos Estados Unidos. Amanhã começarei um trabalho em biologia marinha. Vim realizar o meu sonho, mas no final do ano voltarei para você. Eu te amo!”
Pedro ficou feliz e aliviado com aquela linda mensagem e sentiu orgulho de sua namorada.



O dia mais feliz
Pedro Vitor Coutinho

Tinha chegado o grande dia de Luiza viajar para Portugal. Ela iria estudar e trabalhar.
Quando ela estava no aeroporto internacional, encontrou seus parentes, amigos e o seu namorado, João. Luiza ficou emocionada e começou a chorar. Luiza disse para a mãe:
― Eu sempre vou te amar!
 E a mãe respondeu:
― Eu também, filha!
Logo em seguida, Luiza chamou o pai e a mãe em um canto para conversarem. Luiza disse para eles:
― Obrigada por pagarem a minha viagem. Eu vou fazer o meu melhor.
O pai disse:
― Nós fizemos isso para você porque você é uma ótima filha e por sabermos que será uma ótima profissional.
Luiza disse:
― Muito obrigada, pai.
Logo depois a mãe diz:
― Luiza seja muito feliz e realize seu sonho.
Luiza disse:
― Obrigada, mãe.
Luiza falou com todos e, por último, com o namorado, João. Ela se aproximou dele e sussurrou:
― Eu vou sentir muita saudade, meu amor.
O namorado confessou:
― Eu também sentirei saudade de você. Eu te amo!
Luiza se emocionou muito e foi até o local de embarque. Quando chegou lá, mandou um último beijo para todos e embarcou.
Na entrada do avião, o seu coração batia muito forte, quando ela pensava na família e, ao mesmo tempo, já sentia muita ansiedade de tanta vontade de chegar a Portugal.



Uma despedida difícil
Nina Giese

Laura estava no aeroporto para ir a Miami com suas amigas. Esse era seu sonho desde pequena, mas ela só iria realizá-lo agora, com dezoito anos. Ela ia ficar quinze dias fora de casa e já sabia que sentiria muitas saudades de sua mãe. Sua mãe, Renata, estava lá se despedindo da filha, quando preocupada falou:
― Não saia de perto de suas amigas, bote filtro solar, cuidado com as ondas da praia e não fale com estranhos. Não se esqueça, divirta-se!
― Obrigada, mãe, vou sentir saudades - emocionada Laura disse.
― Eu sei que vai ser difícil, pois você nunca viajou sozinha, só com amigas, mas vai ser bem legal - também emocionada explicou Renata.
― Tá bom, mãe, agora eu preciso ir, o voo já vai decolar - falou Laura.
Elas se beijaram e se abraçaram muito. 
Laura, suas amigas e o guia da viagem andaram até o embarque, conversando animadamente.
Sua mãe ficou esperando até o avião decolar e depois, sozinha, foi para casa.




Vou proteger o último de nós
Nicollas Pereira Batista

Na estação de ônibus abandonada, Ellie e seu pai, Maurício, esperavam o carro do tio da Ellie para levá-la para zona de quarentena de Boston.
Maurício falou:
― Vou ficar para achar uma cura para a praga. Vá, minha filha, na zona de quarentena de Boston você estará segura.
Ellie estava muito triste, não só com a separação do pai, mas também pela separação do amigo de quem ela se perdeu quando os dois tentavam fugir dos infectados.
De repente:
― Ellie! Maurício! Ellie! Ellie!
Lá no horizonte estava o amigo de Ellie, o Nicyel. Nicyel correu na direção de Ellie e disse que iria com ela até a zona de quarentena.
Maurício falou chorando para Ellie:
― Adeus, até a praga acabar! Só te peço, sobreviva.
Ellie muito triste disse:
― Pai, lute, sobreviva! Não morra!
Maurício com uma depressão enorme falou:
 ― Eu te amo também e vou ficar te esperando.
O tio da Ellie chegou e levou Nicyel e Ellie para zona de quarentena. Maurício declarou depois que Ellie foi embora:
― Vou proteger o último de nós.

Nenhum comentário: