"E a minha procura ficará sendo minha palavra."
(Carlos Drummond de Andrade)

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Grupo Semeadores de Ideias - Quarta 16h







O que é a leitura para você?

Meu contato com as página de um livro começou bem cedo. Lembro-me de uma pequena cestinha que tinha com todos os meus primeiros livrinhos. Eu costumava ganhá-los em épocas festivas, como no meu aniversário e no Natal. Eles contavam sobre histórias clássicas, como o “Patinho Feio”. Como eu ainda não sabia ler, observava as imagens e contava a história em voz alta para a família. Recordo-me de uma vez, ao esclarecer porque o gato não coube na casinha, de confundir “mais grande” com “maior” e ter insistido de que estava certa.

Minha avó costumava contar histórias para mim no cochilo da tarde. Já minha mãe ficava com o turno da noite e lia sempre um livro com 31 histórias, uma para cada dia.

Ao chegar na alfabetização, eu fiquei empolgada para aprender a escrever, já que minha avó insistia de que eu iria fazer cartas para ela, e ler, podendo realizar minhas leituras diárias sozinha.

Com sete anos eu já tinha meu próprio caderno da “Pucca” para escrever minhas histórias e depois lê-las para todos. Era a terapia que fazia todos os dias depois da aula.

Às vezes eu optava por fazer um livro. Nesses casos, pegava várias folhas de papel e, além de escrever, também desenhava e ilustrava os divertidos momentos. 

Desde àquela época, escrever era mais prazeroso do que ler para mim. Entretanto, tinha minha estante de livros em cima da cama, que, por sinal, sempre crescia. Tinha, ou melhor tenho, duas amigas fiéis à leitura e grandes conselheiras. Uma delas é minha companheira de troca de livros, a Laura. Já a outra, a Ana, é uma “biblioteca” e ultimamente ela me emprestou livros e não exigiu nenhum de volta. 

Recentemente, leio em torno de três a quatro livros por ano, fora os da escola, que são muitos. Eu curto diversos temas, como poesia, drama e ficção Um romance também me atrai. Agora estou lendo uma série e, surpreendentemente, não largo um segundo sequer. Costumo dizer que um livro é um chiclete permanente, gruda em nós! Quanto mais eu folheio as páginas, mascando a goma, menos consigo largar o livro e jogar a bala no lixo. A doçura de seu açúcar já se alojou em mim. 

Bruna de Carvalho Giglio




O que é a leitura para você? 

Desde pequena, sempre me incentivaram muito a ler. Meus pais sempre me falam do valor que a leitura tem para todo ser humano, dizem que ajuda tanto no modo de pensar, de entender o mundo, quanto no modo de escrever. 

Quando era pequena, na época que ainda não sabia ler, meu pai costumava me contar histórias que ele mesmo inventava. Com o passar do tempo, assim que aprendi a ler e escrever, minha mãe me comprou pequenos livros infantis. Eu os lia com muita vontade e com uma felicidade imensa. Lembro que o livro que eu mais gostava era o de uma série chamada Toody Moody, amava as histórias dela. 

Dos meus 9 aos 12 anos tinha o hábito de ler bastante, porém sempre tive um pouco de preguiça. Depois, devido a rotina escolar, que passava uma quantidade considerável de dever de casa e muitas provas, e também em função da tecnologia ir se expandindo cada vez mais, acabei não tendo tanto tempo para ler e o tempo livre que tinha o gastava mexendo no celular ou vendo TV. 

Hoje em dia, mesmo vivendo nessa situação de ter pouco tempo e continuar usando o celular, tento ler cada vez mais. Neste ano, já consegui ler mais livros do que no ano passado. Como: “A culpa é das Estrelas”, “Cidade de Papel”, “Meu nome é Alana”, entre outros. 

A leitura para mim é algo que deve ser praticada sempre que possível. Ela nos faz ver o mundo de formas diferente, a partir de um outro ponto de vista. Ela nos faz ter uma incrível imaginação, o que é uma das coisas mais valiosas que existe e que devemos sempre preservar. 

Camila Teixeira Pinto Poubel



O que é a leitura para você? 

Nunca me considerei uma leitora voraz, mas sempre soube que ler e escrever me encantava. Os livros que li na infância, me ajudaram a entender o meu fascínio por eles. Ao longo do ensino fundamental, eu comecei a sentir necessidade de escrever minhas próprias histórias. 

Tal necessidade me ajudou a escrever três livretos que, modéstia a parte, eram geniais. Meu primeiro livro contava, de uma forma bem humorada, situações que aconteciam no dia a dia da minha turma. Posso dizer que fez sucesso, levando em conta que só a minha família leu, entretanto, eu só precisava daquele apoio para continuar. 

Os outros dois livros foram bem aceitos, mas não fizeram tanto sucesso quanto o primeiro. Depois disso, eu só escrevi redações, além das feitas na escola. 

Leitura para mim é liberdade, pois com ela eu posso viajar entre os contos, imaginar o futuro distante e, principalmente, sonhar a cada página lida, eu sinto um tsunami de sentimentos indescritíveis, que só a leitura me possibilita sentir. 

Um dia, eu quero emocionar as pessoas com meus textos, quero que elas sintam a mesma euforia que eu senti ao ler livros de grandes autores. Eu quero dar essa sensação de liberdade aos leitores e quero que através de minhas palavras, eles descubram o real significado da leitura para eles. 

Giovana Erthal Campos



O que é a leitura para você? 

Quando criança, meus pais sempre tiveram o hábito de me contar histórias. Algumas vezes inventavam, e outras vezes liam para mim. Lembro-me sempre de me aventurar pelos contos de fadas das mais belas princesas, que fizeram despertar em mim um curioso olhar de infante. Eu era uma grande apreciadora de histórias, sempre esperava pelos momentos que minha professora iria ler um livro e me apaixonava pelos diversos temas que eram narrados. 

Na época em que me alfabetizei, ficava maravilhada com os livros que lia, porém um me cativou mais para a leitura e foi “Pérola”, a história de uma fada que morava em um parque. Eu me deliciava com a magia do conto. Sempre gostei de reler esse livro, e quando vi já havia comprado a coleção inteira. 

Quando fui crescendo, meu hábito pela leitura não cresceu junto comigo. Apesar de ler alguns livros, os livros não despertam mais em mim o mesmo olhar de antes. Leio os títulos indicados pela escola e alguns me agradam muito, entre eles, “Os Miseráveis” uma história pela qual me encantei ao ponto de reler várias vezes. 

Hoje, já leio mais notícias e reportagens, mas tenho plena consciência da extrema importância que a leitura tem para a formação do cidadão e para minha formação, por isso não irei desistir de despertar, novamente, a paixão que tinha pela literatura. 

Luiza Cavalcante Pinto



O que é a leitura para você? 

Não sou de ler com tanta frequência, mas quando começo a ler um livro, que realmente me interesse, não paro até finalizá-lo. Sei da importância da leitura e me esforço ao máximo para me aproximar dos livros. 

Os gibis eram meus melhores companheiros quando era mais nova e até os dias de hoje são. Os livros que mais costumam prender minha atenção são os de aventura, pois causam em mim um grande impacto e geram em mim a curiosidade de saber o que acontecerá a cada página. 

A maioria dos livros que li foram pedidos pela escola e, a partir de alguns deles, descobri minha paixão por escrever poemas. Meu encanto pelos poemas vem da minha capacidade de compreender o sentido deles. Minha emotividade e criatividade me proporcionaram esse interesse. 

Posso não ser uma leitora voraz, mas foi através dos livros que vi algo que realmente me agrada, a escrita. 

A leitura é o meio que temos de deixar de lado a realidade para entramos em um mundo mágico e maravilhoso, com mistérios, aventuras, romances e muito mais. Abrir a imaginação é muito bom e a leitura nos proporciona isso. 

Luiza Lorena Corrêa



O que é a leitura para você? 

Minha primeira experiência com os livros começou bem cedo. 

Minha mãe, sempre, me incentivando a ler, me levava à livraria Gutemberg, que inicialmente era um lugar desconhecido para mim. Assim que chegava, via várias pilhas de livros e prateleiras rodeadas de capas coloridas que prendiam minha atenção. Em uma dessas visitas, o escolhido foi: “As aventuras da fada Pérola”. De tão empolgada, li quase a coleção inteira. 

Com o passar dos anos, os livros foram ficando de lado e foram substituídos por responsabilidades e compromissos que não existiam antes. 

Sei o quão importante a leitura é para a vida de qualquer pessoa. Poder imaginar um mundo novo apenas com a leitura de um livro, ou saber o que acontece do outro lado do mundo, com a leitura de uma reportagem, é muito especial. 

Atualmente, estou incluindo mais a leitura em meu cotidiano, tanto lendo reportagens sobre o que acontece em nosso país, quanto na descoberta de um novo olhar do mundo, lendo livros como “Eu sou Malala”. Este livro mostra a força de uma menina que através da paixão pela leitura mudou o olhar de muitas pessoas. 

Raquel Marques Sampaio Guimarães



O que é a leitura para você? 

Na minha infância, a minha mãe ao me levar para a escola, criava histórias de aventura e de ação. Cada dia era um conto diferente, no qual buscava escutar cada palavrinha para que eu pudesse contar para o meu irmão mais novo. 

Meu avô é a pessoa da família que mais gosta de ler. Além da leitura, ele gosta de escrever livros. Assim fui criando uma curiosidade sobre o hábito da leitura. 

O meu primeiro livro foi o Pequeno Príncipe, que me foi dado em meu aniversário pela minha mãe. Ao terminá-lo, me encantei. O livro me trouxe paz e muita tranquilidade. Após o meu primeiro encontro com o livro, não consegui ficar sem a leitura, comprei livros e mais livros até encher minha estante. 

Hoje não tenho muito tempo para ler a mesma quantidade de livros de antes, devido às inúmeras atividades que faço para a escola e também aos compromissos fora dela. Além das questões escolares, a internet tomou conta do meu dia a dia. Mas quando tenho tempo e não estou no celular, procuro pegar um livro e ler para buscar a tranquilidade e a paz, que nos dias de hoje sem o hábito da leitura não conseguiremos ter. 

Rodrigo Pinto Dantas





Nenhum comentário: