"E a minha procura ficará sendo minha palavra."
(Carlos Drummond de Andrade)

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Grupo Voo Livre - Sexta 16h





O que é a leitura para você?


Nunca fui uma leitora nata. Sempre gostei de ver um bom filme e os livros não me faziam falta. Mas, um dia, após ver minhas amigas discutindo sobre um livro, me interessei pela história e resolvi comprá-lo. A partir desse momento, a minha vida mudou. Os livros passaram a fazer parte do meu cotidiano e me incentivaram a experimentar novas sensações, pois me levam para o mundo mágico da imaginação.

Apesar de não ser muito fã de biografias, leio qualquer tipo de livro: romances, suspenses, dramas... Hoje não vivo sem a leitura e, por isso, sou muito grata, tanto aos livros como aos seus autores, que me mostraram um novo mundo onde imaginar nunca é demais.

Acredito que todos nós temos um livro que nos inspira e se você não tem é porque ainda não o achou. Mas posso lhe adiantar que quando você o encontrar, e pode ter certeza que você vai, irá entender os motivos pelos quais nós, leitores, lemos.

Esther Hadass



O que é a leitura para você? 

A leitura não é um hábito que tenho em minha vida. Há alguns anos, eu li alguns livros, que pela capa pareciam ser bons, mas ao terminá-los, tinha sempre a sensação de que não haviam me agradado. 

Após essas leituras desinteressantes, fui perdendo o estímulo pelos livros e, consequentemente, deixei de procurá-los. Geralmente quando vejo um amigo lendo, o máximo que faço é perguntar do que se trata a história. 

Atualmente, é um pouco raro um livro me interessar. Leio somente quando me é pedido pela escola e, às vezes, gosto da leitura, mesmo sendo uma cobrança. Embora eu não tenha o hábito de ler, eu tento substituir essa lacuna pelas séries e filmes que vejo e acho que, por enquanto, eles já são suficientes. Espero que um dia a leitura se torne algo interessante e prazeroso para mim. 

Thiago Calvão de Carvalho



O que é a leitura para você? 

Eu nunca fui acostumado a ler, talvez porque minha família não tenha o hábito da leitura ou talvez porque eu não tenha tempo para me dedicar a essa atividade. 

Sempre que eu pego um livro, fico com muita preguiça de lê-lo. Além disso, sinto que tenho muita dificuldade de encontrar um livro que realmente me agrade, prejudicando minha intimidade com a leitura. 

Sei que ler é importante. Espero que um dia eu adote essa prática e que ainda me divirta muito lendo, para que cada vez mais eu adquira conhecimento e cultura. 

Nícolas Corrêa



O que é a leitura para você? 

Ler? Antigamente essa era uma palavra inexistente em meu vocabulário. Sentir o gosto pela leitura era muito complicado, pois, para mim, ler era uma coisa cansativa, tediosa e inútil. Até que no dia do meu aniversário, eu ganhei o livro “Minha Vida Fora de Série” e essa sensação mudou. 

Ganhar esse livro foi uma das melhores coisas da minha vida, porque ele me fez perceber que ler não era nada daquilo que eu pensava. Esse livro me mostrou que durante a leitura, você entra em um fantástico mundo, no qual você sente muitas emoções, além de adquirir sentimentos que eu nem sabia que existiam. 

Agora sinto que ler é uma das melhores coisas em minha vida e a leitura é uma palavra que participa diariamente do meu vocabulário. Ler resolve muitos dos meus problemas. Sabe aquela hora em que você se sente sozinho, triste ou até mesmo sem saber o que fazer? Se você se sente assim, tenho uma dica para você: Leia um livro! A melhor coisa na leitura é se envolver com os personagens e sentir cada ação como se aquilo estivesse acontecendo do seu lado. Para mim, essa experiência é única e sensacional! 

Karinna Almeida



O que é a leitura para você? 

A leitura para mim é uma atividade distinta. Eu comecei a me interessar por livros quando estava no terceiro ano e fui visitar um sebo com o meu irmão mais velho. Ele me deu o primeiro volume da série “Harry Potter” e eu me apaixonei pela leitura. Eu não sabia ainda que existiam vários tipos de livros, por isso eu pedia para os meus pais os exemplares mais populares, que minhas amigas estavam lendo. Eu gostava de ler aqueles livros, mas não sabia que outras histórias iriam me agradar mais que aquelas. 

Meu irmão tem sido a pessoa que mais me incentiva a ler, sempre me dando livros, me levando a bibliotecas e livrarias. Ter esse apoio e esses livros foi uma ótima mudança em minha vida. A leitura me faz feliz quando eu estou triste. Já quando leio histórias dramáticas, fico triste quando eu estava feliz. Os livros me fazem companhia nos recreios da escola ou na sala de espera de um dentista. 

Quando estudava no CEN, enquanto minhas amigas praticavam esportes, eu me dedicava à leitura, assim sentia que nunca estava completamente sozinha. 

Apesar de tantas experiências positivas, às vezes, os livros também me atrapalham, pois leio enquanto deveria estar prestando atenção na aula ou perco oportunidades de fazer amizades, pois estou muito distraída com um livro. Além disso, eu o utilizo como desculpa para esconder minha timidez, para passar menos tempo com colegas de sala. 

Hoje em dia, eu sinto certa dificuldade para encontrar livros que me interessem, mas sei que nunca vou querer abandonar esse maravilhoso hábito da leitura. 

Ana Paula Fontes




O que é a leitura para você? 

Desde pequena leio frequentemente, não por obrigação dos meus pais, mas sim por vontade própria. Quando eu aprendi a ler, costumava folhear revistas e gibis enquanto esperava em algum lugar para fazer algo como, por exemplo, em consultórios médicos. 



Aos oito anos, minha mãe comprou-me o livro “Fala Sério, Mãe”. Ele era um livro pequeno, de cento e vinte páginas no máximo e, enquanto o lia, ria muito. Depois daquele livro, surgiram vários outros como “Meu Querido Diário Otário” e “Uma Garota Nada Popular”, livros pequenos, que eu lia facilmente, mas que me divertiam muito. 

No ano retrasado, deixei de lado os livros curtos e pequenos e comecei a ler os grandes. O primeiro que eu li foi “Amanhecer”. Quando contei aos meus amigos sobre essa experiência, todos duvidaram que eu tivesse lido um livro tão grande, mas eu sabia que havia conseguido. Sempre levo livros para ler no intervalo das aulas e, enquanto os leio, as emoções me consomem. Eu poderia gritar para libertar meus sentimentos, o que sei que não posso fazer, por isso, escrevo nas páginas dos livros o que sinto. 

Desde meus dez anos, criei um hábito que o Palavra Mágica me recomendou: grifo minhas frases favoritas e escrevo o que sinto dentro dos livros, tornando a leitura uma experiência mais intimista. 

Ler nunca foi uma obrigação para mim, mas sim uma diversão. Recomendo a todas as pessoas que leiam, porque enquanto você está com o livro nas mãos, você viaja, sai da sua rotina e explora novos mundos. Livros não são perda de tempo, mas um grande acréscimo de diversão e cultura em nossas vidas. 

Taís Seixas



Nenhum comentário: